Esse post foi escrito em 2018!

Eu ainda lembra da minha foto, vestindo uma camiseta branca com estampa de cachorro e me gabando com um frapuccino à base de creme. Hoje, é normal ver alguém segurando um copinho da Starbucks como se dissesse estou correndo para o trabalho, olha como eu sou cool. Há mais de seis anos atrás, essa cafeteria, que vivia no imaginário das leitoras de fanfics, era uma super novidade – nada de indie, obrigada. Mas para quem vivia lambendo o chantilly dos canudos verdes, saber se a Starbucks tem leite vegetal nunca foi uma preocupação. Até o veganismo aparecer.

STARBUCKS TEM LEITE VEGETAL - A TAL DA CASTANHA

Se eu não me engano, no começo da minha transição, tomei um capuccino sem chantilly e com leite de soja, enquanto esperava pela minha professora de inglês. A origem desse leite nem passou pela minha cabeça.

Um tempo depois, descobri o tal leite de soja era da Ades. Ué, qual é o preconceito contra a Ades, Lu? Começamos pelo fato de que, na época, a marca pertencia à Unilever, empresa que testa em animais. E seguimos para algo ainda mais importante, que vai além do boicotar ou não boicotar: a vitamina D na lista de ingredientes era de origem animal.

Hoje, a Ades virou mocinha. Foi pra gigante Coca-Cola, trocou a origem da vitamina D, ganhou uma nova embalagem e até o selo de produto vegano. Se esse leite de soja de fato é vegano, isso fica ao seu critério. Afinal, a Coca patrocina rodeios por aí. Por outro lado, esse é, sim, um produto isento de ingredientes de origem animal bem acessível – praticamente a metade do preço de um leite de amêndoas.

Voltando à história da Starbucks, que de vegana não tinha nada, aquela foi a única vez que tomei algo da cafeteria em dois anos. Em algum momento, o leite de soja também saiu das opções e até os intolerantes à lactose pagaram o pato. Mas isso, finalmente, mudou desde o dia 30 de agosto.

STARBUCKS TEM LEITE VEGETAL - COCO E AMENDOAS

A Sociedade Brasileira Vegetariana deu uma consultoria voluntária à rede mostrando como ter boas opções sem nada de origem animal no cardápio. É isso mesmo. Pegou na mãozinha e ensinou o beabá. Nada de marcas querendo roubar o nosso dinheiro, minha gente. Se for pra gastar R$15 em um café que, ao menos, seja ético.

Foi aí que surgiu a parceria com A Tal da Castanha e três novas bebidas: Leite de Coco Mocha Macchiato, o Leite de Amêndoa Toffee Macchiato e o Coco Cold Brew. Você pode pensar: uhul, três opções veganas. Só que não. A única isenta de ingredientes de origem animal é a última, a Coco Cold Brew. O restante precisa de adaptações – coisa que estamos acostumados, no fim das contas.

O importante, independentemente dessas novidades, é que, agora, podemos fazer a substituição em outras bebidas, como o capuccino ou o latte. E o melhor: sem gosto de soja. As duas opções disponíveis são o leite de amêndoas e o leite de castanha de caju com coco. Hm, delícia! ❤

Quem aí está animado e já correu pra Starbucks mais próxima para provar essas belezinhas? Ou você não faz parte do time que sempre teve o nome escrito errado pelo atendente? 😅

Você também vai gostar

desvantagens em ser vegano - amigos
5 desvantagens em ser vegano, sem ironia
VEGANA NO MASTERCHEF - POLÍCIA VEGANA - DRICA - CHEF VEGANA
Vegana no MasterChef: falta de empatia?
Verdades sobre o veganismo que ninguém te conta!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

acompanhe no instagram